TVTEC Blog | http://tvtecjundiai.com.br/tvtecblog

TVTEC Blog com Pedro Fávaro Jr.
12
junho 2018

Santo Antônio recomenda: quer milagres, aja!

Leia mais Crônica

Pedro Fávaro Jr.

Dia de Santo Antônio, 13 de junho. Acordei invocado com a história dessa pessoa, considerada poderosa não só pelas moças casadeiras (leia ex-encalhadas), mas também pelos historiadores do cristianismo pelas grandes obras que realizou no século 13, Idade Média – por tudo que ensinou, pregou e por ter defendido os mais pobres.  Fatos que certamente contribuíram para torna-lo o mais popular de todos os santos da história da Igreja.

Você encontra devoção a Santo Antônio desde as pessoas das classes mais e vulneráveis até as castas mais refinadas da sociedade global. De verdade, acredito sinceramente que Santo Antônio seja “o cara”. Acho que Obama concordaria.

Se você não sabe, antes de ser dado como santo e antes de ser Antônio de Pádua, ele foi Fernando de Bulhões, nascido e criado em Lisboa, de família burguesa, quase nobre. Na juventude, acompanhava seus amigos pelas tabernas de seu tempo, mas era mais inclinado mesmo aos estudos e à quietude. Internado no Convento Agostiniano de Lisboa para estudar, se mostrou hábil em todas as áreas, especialmente na oratória. Algumas vezes, seus amigos tentaram resgatá-lo da vida clerical para a balada medieval, sem sucesso. Aos 27 anos, Fernando de Bulhões já era o provincial dos agostinianos em Lisboa e Coimbra.

***

Ficou cismado pelas visitas constantes der frades franciscanos pobrezinhos, aos quais dava esmolas e alimentos. Um dia seguiu os fradezinhos “suspeitos” e viu que eles davam o que recebiam do convento para os mais pobres ainda da cidade. Encantou-se. Dizem que a partir daí encasquetou que seria mártir na África, pelas mãos dos mouros. E viajou para Marrocos, norte da África, com os franciscanos – deixando para trás o poder de ser o chefão dos agostinianos.  Adoeceu e pouco pode fazer pela evangelização.

As histórias mais ousadas desprezam bastante a geografia contam que viajando de volta para Portugal seu barco naufragou e ele se salvou indo parar na Itália, onde acabou na Umbria. Aí conheceu Francisco de Assis. Entre os franciscanos, todavia, preferiu a vida monástica, entocado nos morros do lugar. Queria viver só para a oração. No entanto, num encontro de monges franciscanos, chamado de capítulo, foi designado pelo próprio Francisco para celebrar uma missa. Francisco ouviu a sua uma pregação o designou para evangelizar Pádua.

***

Lembrei de amigos e amigas que amam Santo Antônio. Muitos. A colega jornalista Elizabeth Lopes talvez seja a devota mais compulsiva que conheci. Recordei uma reportagem dela. Nela, a Betinha lembra que a fama de casamenteiro dele está associada a práticas de “flagelos” com a imagem de Santo Antônio.

Já vi a mulherada fazer de tudo com a imagem de Santo Antônio para garantir marido. Existem jovens adolescentes e adultescentes (com mais de 35 anos) que, entre outras coisas, sequestram a imagem e a colocam, no dia 13 de junho, no congelador. Outras, talqualmente solitárias, penduram a imagem do santinho pelos pés na janela nesse dia. Há ainda que o aprisionem de ponta cabeça num copo cheio d’água. Mas, as mais cruéis e desesperadas, na minha opinião, são as que arrancam do colo dele o Menino Jesus e o mantém refém até surgir o namorado… Isso é heresia hedionda…

Santo Antônio defendia e garantia casamentos porque lutava para que ninguém pagasse dote por uma noiva, no seu tempo. O noivo tinha que pagar o dote ao pai da moça e nem sempre possuía os recursos necessários.  Era a lei daquele tempo, naquele lugar. E Antônio de Pádua desprezava a lei para defender os mais pobres e para que se concretizasse o amor dos casais, correndo ele mesmo o risco de ser preso.

Além da fama de casamenteiro, há muitos milagres atribuídos ao santo, que vão de fazer um burrinho ajoelhar diante do Cristo Eucarístico até o dom da ubiquidade – de estar em dois lugares ao mesmo tempo. Sendo assim, se você precisa de milagre mesmo, melhor é fazer um carinho para o Santo e ser gentil com ele, cuja sabedoria tem atravessado os séculos.

Por fim, lembro os sermões de Santo Antônio que são fantásticos. Um dos milagres atribuídos a ele diz respeito ao fato de não o escutarem pregando. Então ele foi até um lago e ali fez o mesmo discurso. E os peixes pululavam na água, como que para escutá-lo. Entre os sermões, um dos que mais me impressiona é sobre São Mateus onde ele aborda o verdadeiro “falar em línguas” do cristão.

“Fala em línguas quem está repleto do Espírito Santo. As diversas línguas são o testemunho que devemos dar em favor de Cristo, a saber: humildade, pobreza, paciência e obediência. Quando os outros virem em nós estas virtudes, estaremos nós falando a eles. Nossa linguagem é penetrante quando é nosso agir que fala. Eu vos conjuro, pois, deixai vossa boca emudecer e vossas ações falarem! Nossa vida está tão cheia de belas palavras e tão vazia de boas obras.” (Santo Antônio de Pádua. Sermões sobre São Mateus 23,1-12 comentado pelo Santo Doutor).

Desse modo, se você quer milagres mesmo, faça o que o santo ensina: fale menos e aja mais!

Viva Santo Antônio!

 



Quem já participou (17)

Deixe seu comentário preenchendo os campos abaixo

Os comentários são moderados, e mensagens ofensivas serão removidas.

Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Link original: https://tvtecjundiai.com.br/tvtecblog/2018/06/12/santonio-recomenda-quer-milagres-aja/

Apoio